Logo KPG

O Centro Budista Tibetano Kagyü Pende Gyamtso (Um Oceano de Benefícios) é uma associação que tem por objetivo o estudo e a divulgação do Budismo, em particular o Vajrayana, em seu aspecto religioso, filosófico, artístico e cultural. Foi fundado em 14 de maio de 1987, pela iniciativa de alguns discípulos brasileiros do I Kalu Rimpoche que, com sua autorização e inspiração, estabeleceram o KPG como um Centro de Dharma ligado à linhagem da Transmissão Oral Shangpa Kagyü, a qual se perpetua sem interrupção por mais de dez séculos, até os dias de hoje.

O artigo a seguir aborda o contexto em que se inserem as atividades desenvolvidas no Centro, desde sua fundação até os dias atuais.

A Tradição Shangpa Kagyu e a Perspectiva Não-Sectária

Kyabje Kalu Rinpoche e a Transmissão do Dharma

I Kalu Rimpoche

Desde o início dos anos 1970, Kyabje Kalu Rimpoche foi um dos primeiros grandes mestres tibetanos a abrir livremente a todos - aos asiáticos, assim como aos ocidentais -, o acesso a toda a riqueza da tradição Budista, que foi cuidadosamente preservada no Tibete, desde os últimos mil anos.

Apesar de sua idade avançada, ele fez muitas viagens internacionais, apresentou progressivamente diferentes níveis de ensinamentos e introduziu as práticas correspondentes. 

Estudo – Compreensão e Prática

Em sua apresentação, Kalu Rimpoche não esperava que seus seguidores apenas reproduzissem a tradição formal, institucionalizada e codificada há séculos, com o principal propósito de preservá-la e perpetuá-la. Ele enfatizou os pontos principais encorajando a compreender seu significado essencial e a integrá-los em nossas vidas. Assim, ele considerava a progressão por meio dos seguintes passos: Aprender, Compreender e Experimentar.

Sob sua orientação, em 1977, cerca de 10 anos após seu primeiro encontro com os ocidentais interessados em sua tradição, ele proporcionou o primeiro retiro de três anos de meditação intensiva na Europa. Com base em uma boa compreensão geral dos ensinamentos, Kalu Rimpoche enfatizou a prática da meditação intensiva para desenvolver uma experiência prática e direta.

Jamgon Kongtrul Lodro Taye

Nos anos 80, após os primeiros retiros longos, Kalu Rimpoche considerou que era apropriado desenvolver o aspecto dos estudos. Ele encorajou a tradução de uma coleção de textos do grande erudito e meditador tibetano do século 19, Jamgon Kongtrul Rimpoche. Esse trabalho colossal foi completado recentemente por seus fiéis e qualificados discípulos, e resultou na publicação dos nove volumes do “Tesouro do Conhecimento”.

Continuidade – Estudos e Práticas no KPG

Gampopa

Depois da passagem de Kalu Rimpoche, em maio de 1989, seus discípulos continuaram sua atividade de criar condições para compartilhar as transmissões que eles receberam. No KPG, em Brasília, desde os anos 1990, nós progressivamente abordamos os ensinamentos centrais por meio do estudo cuidadoso dos manuais recomendados por Kalu Rimpoche: “O Precioso Ornamento da Liberação”, de Gampopa, e “As Instruções do Meu Precioso Mestre”, de Patrul Rimpoche. Juntos nós introduzimos as diferentes práticas de meditação analítica e contemplativa. Nós continuamos o desenvolvimento dos estudos referentes aos grandes mestres tibetanos e indianos Atisha, Shantideva, Asvagosha e Nagarjuna. Ao mesmo tempo, um programa de preparação para o retiro de três anos estava em andamento, enquanto construíamos as estruturas requeridas para tal.

Kyabje Kalu Rinpotche e a Linhagem Shangpa

II Kalu Rimpoche

No verão de 2009, com um grupo de amigos, nós viajamos para Sherab Ling, na Índia, onde fomos afortunados em encontrar a nova encarnação de Kalu Rimpoche, então com 19 anos de idade. Com ele, nós recebemos as transmissões e iniciações da Linhagem Shangpa Kagyu, por Tai Situ Rimpoche. Continuamos nossa viagem com uma peregrinação extensiva aos lugares sagrados do Budismo até Sonada, onde recebemos novamente essas iniciações por Kalu Rimpoche pessoalmente.

Kyungpo Neljor e os Mestres da Linhagem Shangpa

Como Kalu Rimpoche havia decidido dar um suporte específico a uma das oito grandes linhagens tibetanas de transmissão, a Shangpa Kagyu, ele definiu para nós o programa do retiro de três anos nesta linhagem. Esse retiro iniciou em março de 2010 e correu muito bem para os nossos amigos que empreenderam essa aventura. No ano passado, ficamos felizes de receber a visita de Kalu Rimpoche, que ficou muito satisfeito com nossas atividades.

Nosso retiro de três anos terminou no último dia 22 de junho. Na comemoração da data da Iluminação de Buda, seguindo o exemplo de Kalu Rimpoche, eu anunciei que nós agora iremos orientar nossas atividades para “uma abordagem moderna do Budismo”.

Rime – Abordagem não sectária

No Tibete, no fim do século 19, sob a inspiração de grandes mestres daquele país, foi desenvolvida uma “abordagem não sectária” (Ri-me significa imparcial). Seu objetivo não era fazer uma síntese das tradições existentes e criar um novo movimento. Considerava-se que, mesmo sendo seguidores de uma tradição específica, não era necessário menosprezar a validade das outras. Eles destacavam o propósito comum das tradições, apesar de suas diferentes expressões em formas e meios. Eles valorizavam uma atitude de respeito, tolerância e colaboração, ao invés de rivalidade e competição. Para suportar essa perspectiva, eles encorajavam estudos extensivos e enfatizavam a prática da meditação.

Kalu Rimpoche, que foi um continuador dessa visão, inspira nossa orientação. Nos dias atuais, acreditamos que o campo de focalização não deve estar somente limitado ao Tibete do século 19, mas aberto a todos os conhecimentos relacionados, acessíveis atualmente pelos meios disponíveis em nossos dias.

Constituição da Biblioteca do KPG

Para desenvolver uma compreensão, é necessário ter acesso à informação. Assim, o primeiro objetivo para promover os estudos é constituir uma biblioteca onde seja possível encontrar facilmente a maioria dos trabalhos de referência. Isso constitui um “Acervo Geral” onde os textos estão classificados em grandes categorias de assuntos: documentos do Cânon Pali, relacionados ao Tibet, Índia, Japão etc. Esse “Acervo Geral” será constantemente atualizado e melhorado. Ele será apresentado por meio de listas e tabelas em nosso site. As listas de apresentação não pretendem ser exaustivas, nem acadêmicas. Nosso propósito principal é facilitar a aproximação a uma quantidade vasta de textos e assuntos. A precisão procurada será encontrada nos próprios textos, que escolhemos como prova de consideração e respeito pelo trabalho de seus autores.

Participe!

As atividades de nosso Centro são abertas e os textos de nossa biblioteca de estudos* estão disponíveis para todos que queiram desenvolver sua compreensão da tradição Budista. Nossos textos estão acessíveis diretamente aos membros que estão próximos do Centro, mas se você mora distante e precisar de um documento que não conseguir encontrar de outra maneira, ficaremos felizes de orientar como obtê-lo.

Assim, à medida que continuamos os estudos detalhados específicos de nossa tradição, diretamente relacionados às práticas meditativas, cada um que quiser, poderá ter acesso a uma documentação mais geral, facilitando o desenvolvimento de seus estudos, compreensão e realização.

Com meus melhores votos,

Lama Trinle

 Imprimir  E-mail